Capitolio


Ânimo

02 de setembro 2019

Coluna do Broadcast

O Bancoob, ligado ao Sistema de Cooperativas de Crédito do Brasil (Sicoob), espera conceder na safra 2019/2020 R$ 16 bilhões em empréstimos ao setor rural, 14% mais que no último ciclo. “Entre nossos cooperados não falta confiança”, diz Ricardo Simone, diretor financeiro do banco, que atende principalmente pequenos e médios produtores. Por trás do otimismo estão a safra maior de grãos, o dólar em alta e a guerra comercial entre Estados Unidos e China.

Cresce. Todos os anos, em média 400 mil novos cooperados, incluindo agricultores, ingressam no sistema, segundo Simone. Na disputa com a concorrência, o Bancoob tem a seu favor o argumento de que o cliente é “sócio” da cooperativa e encontra taxas menores para produtos sem subsídio do governo, como seguros e capital de giro. O Sicoob tem 3.093 agências em 1.728 municípios – em 270 deles é a única instituição financeira presente.

Xodó. Do montante destinado ao agronegócio pelo Bancoob, cerca de um terço do total, ou R$ 5 bilhões, vem hoje das Letras de Crédito do Agronegócio (LCA). É quase o mesmo valor dos recursos provenientes de poupança rural, de cerca de R$ 5,5 bilhões. No primeiro semestre de 2019, o Bancoob emprestou R$ 13,3 bilhões a produtores e agroindústrias, 17,5% a mais que em igual período de 2018.

Recado. Representantes do agronegócio alertam para a necessidade de o setor se comunicar melhor. Hoje, só 28% das empresas têm Diretoria de Comunicação; em outras 26% a área tem nível hierárquico de gerência. Os dados constam da pesquisa “A comunicação do agronegócio no Brasil”, que será lançada hoje pela Associação Brasileira de Comunicação Empresarial (Aberje) com a Associação Brasileira do Agronegócio (Abag). “A pesquisa mostra que o setor não considera a comunicação uma área estratégica, mas de apoio”, avalia Hamilton dos Santos, diretor-geral da Aberje.

Referência: Estado de São Paulo