Capitolio


Cercada por resistências, telemedicina tenta avançar

26 de setembro 2019

Indefinição quanto à regulamentação de sistema é negativa

A decisão recente do Conselho Federal de Medicina (CFM) de revogar a nova resolução que regulamenta a telemedicina no Brasil, após protestos de médicos e entidades, deve atrapalhar, mas não impedir, o avanço do uso das novas tecnologias digitais no atendimento a pacientes. Essa é a opinião de especialistas que atuam nas áreas da saúde, tecnologia e medicina de grupo, e veem a expansão da telemedicina no país como irreversível, em especial na melhoria dos serviços da atenção básica de saúde.

Veja mais

Autor: Erivelto Tadeu
Referência: Valor Econômico