Capitolio


Planos começam a recuperar clientela perdida para a crise econômica

13 de dezembro 2019

Entre as opções de produtos, seguro odontológico é o que mais cresceu entre junho de 2018 e 2019

Depois de perder mais de 3 miIhões de usuários nos últimos anos, o mercado de saúde suplementar começa a dar os primeiros sinais de recuperação da crise financeira que atingiu a economia brasileira. De acordo com dados da FenaSaúde (Federação Nacional de Saúde Suplementar), em 2018 o setor contabilizou 71,57 milhões de beneficiários, crescimento de 2,3% em relação ao ano anterior. Os planos de assistência médica totalizaram 47,37 milhões de beneficiários e ficaram praticamente estáveis na comparação com um ano antes, com expansão de 0,42%. Os exclusivamente odontológicos, com 24,19 milhões de beneficiários, aumentaram 6,2%. A tendência de alta segue também em 2019. Em junho deste ano, o setor atingiu o total de 72,1 milhões de beneficiários, elevação de 2,1% em relação ao mesmo período do ano passado. Os produtos odontológicos foram os que apresentaram a maior expansão, com crescimento de 5,7% em 12 meses, enquanto que os planos de assistência médica ficaram praticamente estáveis, com aumento de 0,2% no mesmo período.

Líderes na categoria Seguro-Saúde no ranking Estadão Melhores Serviços, a Bradesco Seguros e a Mediservice registraram faturamento superior de R$ 23,7 bilhões no ano passado, um crescimento de 6,6% em relação ao mesmo período do ano anterior. “A Bradesco Saúde busca entregar a melhor experiência para seus beneficiários, disponibilizando ferramentas que facilitam o acesso aos produtos e serviços no dia a dia”, diz Flávio Bitter, diretor-gerente da Bradesco Saúde. Ele cita como exemplo o reembolso digital, que dispensa o envio de imagens e documentos em caso de Nota Fiscal Eletrônica, em que houve um crescimento de 26,62% até agosto no volume de pedidos.”O grupo continua investindo no aperfeiçoamento dos canais digitais, ampliando suas funcionalidades e melhorando a experiência do usuário. Uma das novidades será a busca de rede referenciada por meio da Inteligência Artificial da Bradesco (BIA). Além disso, a nova plataforma de Juntos Pela Saúde permitirá ao usuário uma melhor gestão de sua saúde, de forma eficiente e eficaz”, destaca o executivo.

Segundo colocado no levantamento, o Itaú Unibanco trabalha desde 2018 com parceiros no mercado para distribuição de produtos de saúde por meio dos canais do banco. “Nossa expectativa é de continuarmos ampliando a nossa prateleira de serviços e construindo novas parcerias’) diz Luiz Fernando Butori, diretor do Itaú Unibanco. De acordo com o executivo, além dos novos modelos de negócio digitais (corretoras digitais, market place), o mercado tem sido impactado pela atuação de novos modelos de operadores, que contam com rede de atendimento próprio ou atendimento de uma classe específica.

Com o objetivo de proporcionar a prestação de serviço mais eficiente e ajudar o usuário a definir qual o procedimento precisa, a Amil lançou, em julho, o atendimento virtual para 180 mil clientes do plano de saúde Amil One, que podem usufruir de atendimento por vídeochamada por meio do celular ou tablet, com orientações médicas de profissionais do Hospital Albert Einstein. “Também temos um canal telefônico exclusivo, o Amil Ligue Saúde, disponível 24 horas por dia para esclarecer dúvidas e orientar o cliente na utilização de serviços médicos. E ainda disponibilizamos o aplicativo para smartphones e tablets Amil Clientes, que recebe cerca de 7,6 milhões de acessos por mês”, diz Daniel Coudry, CEO da Amil.

Referência: Estado de São Paulo