Capitolio


Cubanos serão reincorporados por 2 anos

19 de dezembro 2019

Os médicos cubanos que atuaram no programa Mais Médicos serão reincorporados ao Médicos pelo Brasil mesmo sem o Revalida, por meio da nova lei sancionada ontem pelo presidente Jair Bolsonaro. Estes profissionais, porém, só poderão atuar nestas condições por no máximo dois anos.

Os profissionais cubanos terão ainda de atender a alguns requisitos. Eles devem ter sido desligados do programa em razão do fim do acordo de cooperação entre o Ministério da Saúde Pública de Cuba e a Organização Panamericana da Saúde (Opas) e permanecido no Brasil até a data da publicação da medida provisória do Médicos Pelo Brasil, em 1.º de agosto, na condição de naturalizado, residente ou com pedido de refúgio.

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, disse estimar que até 2 mil médicos cubanos tenham permanecido no País após o fim da parceria com o governo de Cuba, em 13 de novembro do ano passado.

O governo elaborou o programa Médicos pelo Brasil para substituir o Mais Médicos, criado durante o governo Dilma Rousseff (PT). Pelo Mais Médicos, os profissionais cubanos deveriam atuar em regiões remotas do País, onde faltam profissionais de saúde. O programa, no entanto, ficou esvaziado após o fim do acordo com o governo de Cuba.

Orçamento. De acordo com o Palácio do Planalto, o Médicos pelo Brasil deve abrir 7 mil novos postos de trabalho para médicos em municípios desassistidos. O ministro Mandetta disse esperar um orçamento de R$ 4 bilhões para o programa no ano que vem.

Autor: Mateus Vargas e Emilly Behnke
Referência: Estado de São Paulo