Capitolio


IPO da Caixa Seguridade está perto de começar

30 de janeiro 2020

O presidente da Caixa, Pedro Guimarães, afirmou que a instituição está discutindo, obtendo as autorizações e está muito perto de começar a abertura de capital da Caixa Seguridade. Guimarães disse também que o banco deve anunciar uma joint venture na bandeira de cartões. “Será uma operação surpreendente”, afirmou, durante painel em conferência do Credit Suisse em São Paulo.

Ele citou que o banco é uma potência financeira, mas pouco reconhecida. “Na índia, dizíamos que o banco é um pouco maior que o ‘State bank’ do País. Mas, aparentemente, eles percebem o setor financeiro como algo do tamanho do Suriname”, afirmou, referindo-se à viagem presidencial ao país asiático nesta semana.

O executivo disse que não considera aceitável que um banco do tamanho da Caixa tenha um “cross selling” entre as suas unidades tão pequeno.

“Vendemos para apenas 1% da nossa base de clientes o seguro prestamista. Para 0,5% dos clientes, vendemos consórcio. Para 0,2%, títulos de capitalização. Como pode ter um cross selling tão baixo mesmo sendo o banco das lotéricas?”, questionou Guimarães.

O presidente da Caixa afirmou que a instituição financeira vai começar a oferecer financiamento imobiliário com taxa pré-fixada em três semanas. Essa modalidade de crédito imobiliário também está no radar de bancos privados.

Guimarães afirmou, ainda, que a Caixa vai testar a securitização da carteira de crédito imobiliário com índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). “Quando cria essa linha com IPCA, você torna possível a securitização da carteira”, disse Guimarães.

O presidente da Caixa disse que o banco público está em fase final de discussão para entrar no negócio de adquirência de cartões, o credenciamento de estabelecimentos comerciais para aceitar meios eletrônicos de pagamentos. “A Caixa é o único banco que não tem adquirência, vamos resolver isso agora”, comentou, sem dar maiores detalhes.

No último dia 20 foi formalizada a criação da Caixa Cartões, que vai operar no segmento de maquininhas, ou seja, a adquirência, e ainda deve lançar uma nova bandeira de cartões. O banco vai trabalhar com parceiros nos dois negócios. “A grande força da Caixa será vista a partir de 2021”, disse Guimarães, ao falar do processo de mudanças dentro do banco público que vem ocorrendo desde janeiro de 2019.

O presidente da Caixa afirmou que os chamados instrumentos híbridos de capital e dívida (IHCD) foram uma forma de pedalada fiscal. O banco já devolveu aproximadamente R$ 11,3 bilhões ao governo frutos destes empréstimos, feitos no governo da ex-presidente Dilma Rousseff.

Referência: Jornal do Comercio RS