Capitolio


Mais embaixo

05 de fevereiro 2020

Coluna do Broadcast 

O impacto da carta da gestora carioca Squadra, questionando a recorrência dos resultados do ressegurador IRB Brasil Re, foi além das ações da companhia e chegou na Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN). A ligação é simples. O atual procurador-geral da Fazenda Nacional, José Levi Mello do Amaral Júnior, era o presidente do conselho de administração do IRB Brasil Re e assinou os demonstrativos financeiros do ressegurador de junho, exatamente o período mais questionado pela Squadra.

Vara curta. Na PGFN, a sensação foi de que a carta da Squadra denegriu a cúpula do órgão. Providências foram tomadas. A preocupação é que a gestora tenha feito uma tentativa de manipulação de mercado. Procurada, a PGFN não comentou. O IRB e a Squadra não se manifestaram.

Referência: Estado de São Paulo