Capitolio


CVM investiga ‘insider trading’ na Qualicorp

14 de abril 2020

Diretora de RI e seu marido venderam ações dias antes de acordo com fundador ser divulgado, diz processo

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) acusa a diretora de relações com investidores da gestora de planos de saúde Qualicorp, Grace Tourinho, e seu marido José Tourinho de terem negociado ações da companhia de posse de informações privilegiadas em 2018.

Segundo o processo sancionador obtido pelo Valor, o casal teria vendido ações da empresa pertencentes ao seu portfólio familiar dias antes de ser divulgado contrato de remuneração do fundador da Qualicorp, José Seripieri Filho. O contrato, que previa a permanência do fundador na companhia por determinado tempo e o impedia de criar negócios que concorressem com a Qualicorp, foi mal recebido pelo mercado e as ações, então, caíram.

Segundo a área técnica da CVM, Grace e José Tourinho venderam ações de sua carteira pessoal de posse de informação relevante ainda não disponibilizada ao público. Desse modo, o casal teria evitado uma perda nos seus investimentos. A defesa dos acusados alega que a diretora não teve acesso a qualquer dado que pudesse lhe indicar as tratativas com o presidente da Qualicorp até 21 de setembro de 2018, quando foi informada dos termos gerais do contrato. As vendas das ações do casal correram em 18 e 19 de setembro, segundo os termos da acusação.

Veja mais

Autor: Juliana Schincariol
referência: valor Econômico