Capitolio


Amil oferece telemedicina para 3,6 milhões de clientes

16 de abril 2020

Operadora de planos de saúde decide antecipar ampliação do serviço para toda a base de usuários

Diante da pandemia do novo coronavírus, a Amil passa a oferecer o serviço de telemedicina para toda a sua carteira de 3,6 milhões de usuários. Até então, o atendimento médico virtual era ofertado para cerca de 160 mil beneficiários da operadora.

Com a expansão da telemedicina, a Amil estima que o número de atendimentos salte de 1,8 mil para 6 mil ligações por dia. Para isso, será usada uma estrutura com 360 enfermeiras e médicos (clínico geral) da operadora que, atualmente, estão ociosos com a redução no volume de procedimentos. A operadora tem essa equipe de profissionais porque possui uma ampla rede própria de hospitais e clínicas.

Até o fim do ano, a Amil também pretende ofertar consultas on-line com médicos especialistas.

“Nosso objetivo era lançar o novo serviço de telemedicina na metade do ano, mas com a covid-19 decidimos antecipar. Hoje, 60% dos atendimentos são para esclarecer dúvidas sobre síndromes respiratórias. Com isso, conseguimos reduzir as idas ao pronto-socorro”, disse Daniel Coudry, presidente da Amil, que ainda não tem estimativas se a telemedicina reduzirá a taxa de sinistralidade da operadora.

No novo serviço de telemedicina da Amil, o paciente conversa inicialmente com uma enfermeira por telefone e, se for o caso, é encaminhado para um clínico geral, que faz o atendimento por videoconferência. O profissional pode emitir receitas médicas.

A telemedicina foi regulamenta em março devido à covid-19 e sua vigência é válida somente enquanto durar a pandemia.

Autor: Beth Koike
Referência: Valor Econômico