Capitolio


Generali desiste de seguros auto e residencial

13 de maio 2020

A Generali decidiu sair dos ramos de seguro de automóveis e residencial no país. A companhia vai aceitar novos contratos e renovações nas duas modalidade até o dia 31 de maio, afirmou ao Valor o CEO da filial brasileira do grupo italiano, Andrea Crisanaz

Depois disso, “vamos administrar a carteira de apólices que estão conosco até a extinção de todos os contratos em 2021”. Segundo o executivo-chefe, a mudança já havia sido definida desde o fim do ano passado, antes da pandemia. “Mesmo com a crise, achamos que não tínhamos de adiar a mudança por conta do coronavírus.”

O grupo decidiu sair dos ramos auto e residencial, segundo o CEO, por conta da estratégia de diversificação e parcerias estabelecida há alguns anos. “Em 2017, abrimos a divisão de negócios de massificados, deslanchamos parcerias com BMG, Agibank e Pine, além de redes de varejo e outras empresas. Com o avanço da nova estratégia, nossa carteira de seguro auto assumiu características de nicho. E a residencial ainda é muito pequena.”

A ideia da seguradora é “focar daqui para a frente nos negócios de massificados, de vida em grupo, onde temos uma divisão de clientes multinacionais, e de grandes riscos para empresas de maior porte”. De acordo com Crisanaz, nas áreas de veículos e residências, o grupo via pouco potencial de crescimento no país.

Veja mais

Autor: Sérgio Tauhata
Referência: Valor Econômico