Capitolio


Investimento para o Plano Safra cresce 6,1%

18 de junho 2020

Durante lançamento do programa, ministra Tereza Cristina disse que mesmo na pandemia produção agrícola não registrou queda

O Ministério da Agricultura disponibilizou R$ 236,3 bilhões para o Plano Safra 2020/21, valor 6,1% maior que em 2019/2020, ou R$ 13,56 bilhões a mais. A informação foi antecipada pelo ‘Broadcast Agro’.

Em lançamento no Palácio do Planalto, a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, lembrou que, mesmo durante a pandemia, o setor não sofreu com queda na produção, nem em quantidade ou qualidade.

“Diante disso, torna-se mais importante ainda garantir a nossa próxima colheita, para que continuemos a bater recorde de produção de alimentos”, disse.

O aumento dos recursos deve-se a ajuste no valor previsto para as operações de investimento, que passou de R$ 56,29 bilhões para R$ 56,92 bilhões. O volume a ser destinado para operações de custeio e comercialização é de R$ 179,38 bilhões. Para o seguro rural, a subvenção do governo será 30% maior, passando de R$ 1 bilhão na safra 2019/20 para R$ 1,3 bilhão no próximo ciclo.

O Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural (Pronamp) vai contar com R$ 33,12 bilhões (entre verbas para custeio e investimento), 25,1% mais que na temporada 2019/20. Para os pequenos produtores, R$ 33 bilhões serão disponibilizados por meio do Programa de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), volume 5,7% maior que na safra anterior. Eduardo Sampaio, secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, disse que o programa é prioridade no Plano Safra e que espera que não haja dificuldade para o tomador de crédito. “Mais uma vez, focado nos pequenos e médios produtores, que são os que mais precisam do governo”, disse. Para os pequenos produtores, por meio do Pronaf, serão R$ 33 bilhões e, para os médios, R$ 31 bilhões por meio do Pronamp.

Meio ambiente. O presidente Jair Bolsonaro também participou do evento e disse, durante a cerimônia que o Brasil é o que mais preserva o meio ambiente.

“O Brasil é o País que mais preserva o meio ambiente de todos”, disse. “Nós somos um exemplo na questão ambiental”, disse ele ao lado dos seus ministros. Bolsonaro afirmou que o Brasil usa apenas 8% do seu território para a produção de alimentos, enquanto outras nações usam mais.

Bolsonaro também fez elogios ao setor, um dos apoiadores de primeira hora de sua campanha ao Palácio do Planalto, e disse que o homem do campo é um exemplo de trabalhador.

“Trabalha de segunda a domingo, 24 horas por dia. Não reclama de absolutamente nada”, disse. O presidente afirmou saber como é essa vida e que já precisou plantar muito arroz.

O presidente fez ainda uma homenagem ao ex-presidente Médici, pela criação da Embrapa, e elogiou a atuação de seus ministros, principalmente, em missões outros países.”Hoje, colhemos o que foi plantado lá fora. Assim é a agricultura, você só pode colher o que você planta”, disse. “O que nos plantamos hoje na política colhemos amanhã”, afirmou o presidente.

Autor: Camila Turtelli e Clarice Couto
Referência: Estado de São Paulo