Capitolio


China concede primeira patente de vacina contra Covid-19 para CanSino, diz mídia estatal

18 de agosto 2020

Vacina foi a primeira a alcançar a fase 2 dos testes clínicos e já é aprovada para militares chineses

A empresa chinesa especializada em vacinas CanSino obteve aprovação de patente junto ao governo chinês pra sua candidata a vacina contra a Covid-19, Ad5-nCOV, informou a mídia estatal, citando documentos do órgão regulador de propriedade intelectual do país.

A vacina, a primeira a alcançar a fase 2 dos testes clínicos, começou a recrutar 500 voluntários no dia 15 de abril de 2020 e já foi aprovada para uso limitado em militares do Exército chinês.

Usando uma abordagem similar à que havia empregado no desenvolvimento de uma vacina contra o ebola, a CanSino está apostando num patógeno modificado, do grupo dos adenovírus, como vetor.

O adenovírus geneticamente modificado carregará o material genético que contém o código para a produção da proteína S do coronavírus. A diferença para as vacinas que usam RNA é que os vírus conseguem “entregar” ativamente a informação genética da imunização, o que, em tese, pode ser mais eficiente do que o material genético “solto”. Por outro lado, pode haver mais riscos de efeitos colaterais. Há a expectativa de que resultados mais firmes sobre a abordagem apareçam dentro de um ano.

Uma abordagem muito parecida está sendo adotada por pesquisadores da Universidade de Oxford (Reino Unido).

Os dados positivos da fase 2 da vacina chinesa foram publicados em 22 de maio na revista científica inglesa Lancet. A pesquisa mostrou que a imunização experimental tem um perfil de segurança adequado e estimula resposta do organismo contra a Covid-19.

O estudo foi conduzido por pesquisadores de vários laboratórios e incluiu 108 participantes com idades entre 18 e 60 anos. Aqueles que receberam uma dose única da vacina produziram células imunes chamadas células T dentro de duas semanas. Os anticorpos necessários para a imunidade atingiram o pico 28 dias após a inoculação.

A Arábia Saudita anunciou neste mês que pretende iniciar os testes clínicos de fase 3, a última antes do registro da vacina, da candidata da CanSino no país. A empresa disse que também negocia com Rússia, Brasil e Chile para lançar ensaios clínicos de fase 3 nesses países.

Referência: Folha de São Paulo