Capitolio


IRB Brasil: resultado do segundo trimestre revela novo tamanho das perdas

28 de agosto 2020

Resseguradora apresenta números do segundo trimestre sob desconfiança de investidores depois de seguidas revisões

Quais as novas revelações do IRB Brasil sobre os números da empresa? Essa é uma pergunta que terá novas respostas nesta sexta-feira, 28, ainda que não se possam dizer que sejam definitivas, com a divulgação dos resultados do segundo trimestre depois do fechamento do mercado.

As expectativas apontam para um prejuízo expressivo que foi antecipado em parte pela própria resseguradora no início do mês, quando divulgou resultados prévios de abril e maio. A empresa teve um prejuízo líquido de impostos de 392,5 milhões de reais no bimestre, decorrente de uma sinistralidade (relação de despesas com os serviços e a as receitas com os prêmios) elevada de 123% no período. “Para junho, espera-se efeitos semelhantes ao bimestre em resultados”, alertou o IRB.

A resseguradora passa por um processo de revisão de seus números e do balanço dos últimos anos. Para a gestora Squadra Investimentos, é um procedimento complexo que enfrenta dificuldades para ser concluído por completo em curto espaço de tempo.

Para lembrar: a Squadra levantou, seis meses atrás, dúvidas sobre a consistência e a veracidade dos números da resseguradora ao justificar na ocasião a sua posição vendida nas ações da companhia, em um momento em que o IRB desfrutava de avaliações positivas de boa parte do mercado.

É um processo de questionamento que nem a bem-sucedida (em termos do que se buscava) oferta subsequente de ações conseguiu dirimir: o IRB divulgou nesta quinta, 27, que conseguiu subscrição de 97,43% do capital colocado à venda, levantando até aqui 2,242 bilhões de reais.

As ações não subscritas pelos acionistas, correspondentes a 2,57% da oferta, serão colocadas à venda em leilão na B3 nesta sexta às 16h30, ao preço mínimo de 6,93 reais. É um desconto de 9% em relação à cotação de 7,62 reais no fechamento da quinta.

“É pertinente ressaltar que, de acordo com a própria administração da companhia, reavaliações sobre as práticas da gestão anterior ainda estão em curso”, destacou a gestora Squadra em sua carta aos cotistas dos seus fundos, divulgada na última semana. Ela concluiu a análise revelando:

“Enfatizamos que mantemos nossa posição vendida, de forma que fundos sob nossa gestão (e, por consequência, a própria Squadra) se beneficiam de uma queda no valor das ações do IRB”.

Referência: Exame