Capitolio


Seguro é alternativa para diluir riscos cibernéticos

19 de outubro 2020

A procura por seguros para riscos cibernéticos cresceu 40% após a aprovação da Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD) pelo Senado, em agosto. A afirmação é de Marta Schuh, superintendente da consultoria de riscos e corretora Marsh Brasil. “As empresas querem mitigar os danos e prejuízos dos incidentes”, comenta.

Segundo Schuh, a LGPD é mais um elemento que tem esquentado a venda de apólices. “A pandemia acelerou a transformação digital e ampliou a exposição das empresas – principalmente por conta do trabalho remoto. A combinação entre novas regras e ações de combate à covid-19 trouxe urgência às políticas de proteção de dados”, comenta. O cenário atual é fértil para a ação de cibercriminosos, que encontram mais portas abertas para entrar nos sistemas. “As notícias de prejuízos causados no Brasil ligaram o alerta das companhias.”

Veja mais

Autor: Ediane Tiago
Referência: Valor Econômico