Capitolio


Aposta de Bolsonaro, vacina de Oxford tem composto vindo da China

23 de outubro 2020

Fiocruz prevê importação de 15 milhões de doses de ingrediente farmacêutico do país asiático

O presidente Jair Bolsonaro não conseguirá se livrar da China para disponibilizar vacinas aos brasileiros: o ingrediente farmacêutico ativo (IFA) da vacina de Oxford, principal aposta do governo federal, é fabricado em um laboratório naquele país.

From China

De acordo com informações prestadas ao Congresso pela própria Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), 15 milhões de doses do IFA virão da China para o Brasil em dezembro, para a fabricação das primeiras doses da vacina desenvolvida por Oxford no Instituto Bio-Manguinhos, ligado à fundação.

Caneta

O Ministério da Saúde foi obrigado por Bolsonaro a cancelar, na quarta (21), protocolo de intenções com o Instituto Butantan porque o presidente diz não quer comprar a vacina chinesa que será fabricada em parceria com a instituição.

Na Veia

Por outro lado, a pasta já disponibilizou R$ 1,5 bi para a encomenda tecnológica da Fiocruz – que inclui a importação do IFA feito na China para a AstraZeneca, a farmacêutica que desenvolve a vacina em parceria com a Universidade de Oxford.

Pesquisa

O Brasil foi o país que mais buscou pelo assunto vacina no Google entre quarta (21) e quinta (22). Também cresceram as consultas pelo termo Coronavac – o nome do imunizante chinês que está sendo produzido pelo Instituto Butantan teve alta de 700% nessas 24 horas e foi um dos dez termos de maior alta dentre as buscas sobre política.

Autor: Monica Bergamo
Referência: Folha de São Paulo