Capitolio


BB Seguridade tem lucro líquido de R$ 1,1 bilhão no 3º trimestre

03 de novembro 2020

Lucro líquido ajustado retoma crescimento e fica ligeiramente acima das projeções de analistas

A BB Seguridade apresentou lucro líquido ajustado de R$ 1,096 bilhão no terceiro trimestre de 2020, crescimento de 1,4% ante o mesmo período do ano passado, e alta de 11,6% em relação ao segundo tri.

A cifra veio acima da média das projeções de analistas compiladas pela Bloomberg, de R$ 967 milhões.

No acumulado do ano, porém, o lucro líquido ajustado ainda recua 6,7% ante os primeiros nove meses de 2019, o que, no entanto, consiste numa retração menor que aquela vista nos primeiros dois trimestres, que havia sido de 10,9%.

Segundo a companhia, os principais fatores que explicam o crescimento do lucro na comparação anual foram: a alta de 12,5% nas receitas de corretagem da BB Corretora, decorrente de aumento nas vendas e melhora da margem operacional; incremento de 5,8% nas receitas com taxa de gestão, melhora do índice de eficiência e evolução no resultado financeiro da Brasilprev (previdência); e crescimento da arrecadação na Brasilcap (capitalização).

O lucro líquido ajustado também foi impactado negativamente pelo aumento da sinistralidade (3,7 pontos percentuais ante o terceiro tri de 2019) e a queda do resultado financeiro da Brasilseg, parcialmente compensado pelo aumento de 20,4% dos prêmios; e pelo resultado financeiro da holding, impactado principalmente pela restituição de capital aos acionistas, pela menor taxa média Selic e pela distribuição dos recursos provenientes da alienação do IRB.

O patrimônio líquido atingiu R$ 6,3 bilhões, crescimento de 18,8% em relação ao trimestre passado, mas queda de 39,9% ante o terceiro trimestre de 2019.

Despesas

No terceiro trimestre, as despesas gerais e administrativas da holding registraram queda de 38,4% ante o mesmo período de 2019, beneficiadas por menores despesas tributárias de PIS e Cofins incidentes sobre as receitas financeiras, que contraíram 87,6% em função da redução da taxa Selic e do saldo médio de aplicações.

Adicionalmente, as despesas administrativas apresentaram queda de 31,7%, explicada em grande parte por menores gastos com processamento de dados e com viagens a serviço, registrados em outras receitas e despesas operacionais.

As despesas no consolidado das holdings e da BB Corretora registram aumento de 4,1% em relação ao terceiro trimestre de 2019, com a constituição de um maior volume de provisões na BB Seguros para ajuste dos preços dos ativos da Brasilveículos alienados à MAPFRE quando da reestruturação da parceria, em função do não atingimento das metas de venda do seguro automóvel no canal bancário.

Autor: Julia Wiltgen
Referência: Seu Dinheiro