Capitolio


Casos de câncer não podem esperar (Especial – Summit Saúde Brasil 2020)

09 de novembro 2020

A demora no diagnóstico ou atraso no tratamento pode provocar complicações para uma série de patologias. Esse “dano colateral” da pandemia, que afastou pacientes dos médicos, tem consequências especialmente ruins para casos de câncer. “Nossa meta é diagnóstico precoce. Ao ficar para depois, perdemos oportunidades de cura ou de um melhor tratamento”, afirma António Carlos Lima Pompeo, presidente da Sociedade Brasileira de Urologia.

Ele cita os cânceres de mama, intestino, próstata e pênis como alguns dos tipos em que o diagnóstico precoce é fundamental. “Não interrompa seu tratamento, porque as consequências vão vir depois”, apela.

Embora pacientes com câncer sejam mais vulneráveis, Jorge Vaz Pinto Neto, vice-diretor científico da Associação Brasileira de Hematologia, Hemoterapia e Terapia Celular, pede que confiem. “Cuidados de se expor menos, usar máscara e lavar as mãos têm se mostrado suficientes para a segurança de pacientes e médicos. Já fiz 13 vezes o exame, e dá negativo.” Ele lembra que os laboratórios fazem exames drive-thru ou em casa.

Não basta conscientizar os pacientes, é necessário um esforço coordenado sobretudo no Sistema Único de Saúde (SUS) para diminuir filas por exames e atendimentos. “Nossa preocupação é com a falta de um plano de retomada. Sabemos que nos espera uma epidemia de casos avançados de câncer”, afirma Luciana Holtz, presidente do Instituto Oncoguia, que reúne pacientes oncológicos. O perigo do não tratamento se estende a diversas condições. Doentes cardíacos e diabéticos sem acompanhamento podem ter complicações graves.

Autor: Luciana Casemiro
Referência: Estado de São Paulo