Capitolio


Falta de planejamento é risco para logística de vacinação contra covid

23 de novembro 2020

Preocupação vai desde materiais de fácil fabricação, como seringas e agulhas, até capacidade armazenamento de produtos que exigem resfriamento

Com os avanços da corrida por uma vacina contra a covid-19 no Brasil, especialistas em saúde agora se preocupam com a infraestrutura necessária para uma campanha de imunização de porte nunca visto no país. Isso passa pelo provimento de materiais de fácil fabricação, como seringas e agulhas, e aspectos mais complexos, como armazenamento de produtos que exigem resfriamento agudo.

O professor de ciências farmacêuticas da Universidade de São Paulo (USP) Marco Antônio Stephano afirma que os governos federal e subnacionais ainda estão muito centrados no debate sobre o desenvolvimento da vacina e não têm se preparado para recebê-la com materiais simples, o que pode ser um gargalo na hora de vacinar a população. “O Brasil já realiza campanhas de vacinação grandes, com cerca de 300 milhões de doses todos os anos, e que não vão parar. Terão de acontecer em paralelo à do coronavírus. Se não houver planejamento, pode faltar o básico: seringa e agulha”, diz Stephano.

Veja mais

Autor: Gabriel Vasconcelos
Referência: Valor Econômico