Capitolio


Em maior oferta de ações desde 2013, Rede D’Or salta quase 8%

11 de dezembro 2020

Grupo de hospitais movimenta R$ 11,39 bilhões em primeiro dia de negociações na Bolsa

O grupo de hospitais Rede D’Or São Luiz estreou em forte alta na Bolsa brasileira, no maio IPO (oferta inicial de ações, na sigla em inglês) de uma companhia na B3 desde 2013, movimentando R$ 11,39 bilhões nesta quinta-feira (10).

O IPO (oferta inicial de ações, na sigla em inglês) foi precificado a R$ 57,92 por ação, avaliando o grupo em R$ 112,5 bilhões, o que o coloca entre as dez empresas brasileiras com maior valor de mercado listadas na B3, na frente do Banco do Brasil.

Em seu primeiro pregão, os papéis do grupo de hospitais chegaram a saltar 13,81%, a R$ 65,92, mas fecharam em alta de 7,73%, a R$ 62,40.

A faixa de preço estimada para o IPO era de R$ 48,91 a R$ 64,35 por papel.

Este é o terceiro maior IPO da Bolsa brasileira, em valores nominais (não corrigidos pela inflação). Em 2009, o Santander Brasil captou R$ 13,2 bilhões, no maior IPO da B3. Em 2013, o BB Seguridade captou R$ 11,475 bilhões em sua estreia na Bolsa, ocupando o segundo lugar.

A oferta teve apenas cinco investidores ficando com aproximadamente 50% dos papéis. Excluindo esta fatia, a demanda foi de dez vezes a oferta, com estrangeiros adquirindo 55% das ações.

A companhia deve usar R$ 8,44 bilhões da oferta primária (que vai para o caixa da empresa) para construir novos hospitais, expandir unidades existentes, além de comprar ativos que permitam desenvolver novas linhas de negócios.

A empresa de private equity Carlyle e fundo soberano de Singapura GIC foram os acionistas vendedores na oferta secundária, que movimentou R$ 2,95 bilhões.

Com 51 hospitais no Brasil, a Rede D’Or foi fundada em 1977 por Jorge Moll Filho como um laboratório. A família Moll ainda controla o grupo.

A companhia está listada no Novo Mercado, segmento com regras mais rígidas de governança da B3.

Referência: Folha de São Paulo