Capitolio


Planos de saúde devem encerrar 2020 com mais 600 mil vidas na modalidade médico-hospitalar

04 de janeiro 2021

Saldo representaria um crescimento de 1,3% para o segmento, totalizando cerca de 47,6 milhões de beneficiários

Os planos de saúde esperam encerrar 2020 com saldo positivo de até 600 mil novas vidas cobertas na modalidade médico-hospitalar. Se confirmada a estimativa, o setor fechará o ano melhor do que começou, de acordo com a FenaSaúde (Federação Nacional de Saúde Suplementar).

Em Muito Tempo

O saldo representaria um crescimento de 1,3% para o segmento, totalizando cerca de 47,6 milhões de beneficiários. Esta seria a primeira vez desde 2014 que o número de usuários aumentaria em um ano.

Chegada

Em meio à crise provocada pelo novo coronavírus, as operadoras chegaram a perder 363 mil clientes. A tendência de queda se inverteu em junho e, até novembro, segundo o dado mais recente da ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar), o saldo positivo acumulado era de 350 mil novas vidas.

Fôlego

“É mais uma demonstração de que as famílias e as empresas brasileiras não abrem mão de seus planos de saúde, mesmo diante de uma crise sem precedentes como a atual”, diz Vera Valente, diretora-executiva da FenaSaúde.

Tendência

Já os planos odontológicos mantiveram sua trajetória de alta —ininterrupta há duas décadas—, mas devem fechar 2020 com avanço menor que a média dos últimos anos, em torno de 2,5%.

Até outubro desde ano, a modalidade já havia ganhado mais de 508 mil beneficiários no ano.

Autor: Monica Bergamo
Referência: Folha de São Paulo