Capitolio


Risco de imagem e judicialização

06 de janeiro 2021

A vacinação deve ser feita pelo setor público – empresas privadas, se comprarem vacinas, correm risco de imagem e de serem acionadas judicialmente

A comercialização da vacina para combate da covid-19 pelo setor privado neste momento em que ainda há uma carência do imunizante na rede pública pode gerar processos na Justiça e dano à imagem de clínicas e hospitais privados que ofertarem a vacina. A opinião é de Helton Freitas, presidente da Seguros Unimed.

“No curto prazo, não vai ter vacina para todos. Há risco de a Justiça ser acionada e confiscar a vacina na rede particular porque alguém do grupo prioritário está sem vacina na rede pública. Vejo um grande desgaste de imagem. É uma questão ética, é preciso ter equidade”, disse Freitas.

Fernando Reich, professor titular de bioquímica da USP, também fez ponderações sobre a venda do imunizante na rede privada, no atual cenário. Em sua visão, se o governo brasileiro não tiver interesse em determinada vacina, o setor privado poderia comprar, mas é difícil saber efetivamente se a negociação não envolveria propostas financeiras muito maiores. “Por isso, as grandes fabricantes assinaram termos com a OMS [Organização Mundial da Saúde] para vender só para o setor público e não ter esse ônus moral”, disse Reich.

Veja mais

Autor: Beth Koike
Referência: Valor Econômico