Capitolio


NotreDame e Hapvida ainda terão 25% do mercado para conquistar após fusão

13 de janeiro 2021

A fusão entre as companhias fortalecerá a presença da NotreDame e da Hapvida em São Paulo e Minas Gerais, sem problemas de sobreposição, destaca o Santander

NotreDame (GNDI3) e Hapvida (HAPV3) estão perto de selarem um acordo para criar uma das maiores empresas de saúde do Brasil. Mas mesmo assim, a nova companhia teria uma fatia de 25% do mercado para disputar. Pelo menos no cálculo do Santander.

Para o analista Marcio Osako, são 325 microrregiões, totalizando 11,8 milhões de beneficiários, sem presença relevante da Hapvida ou NotreDame, principalmente nas regiões Sul (4,5 milhões) e Sudeste (4,3 milhões).

“Ainda há espaço considerável para novas fusões e aquisições (até 2,6 milhões de vidas), em nossa visão”, afirma.

Além disso, Osako destaca que a união entre as companhias fortalecerá a presença da NotreDame e da Hapvida em São Paulo e Minas Gerais, sem problemas de sobreposição.

Por exemplo, a Hapvida não está presente no Rio de Janeiro, assim como a NotreDame tem pouca presença no Centro-Oeste e Norte.

“Em São Paulo e Minas, no entanto, a participação deve melhorar significativamente dada complementaridade em São Paulo e a pequena presença em Minas” explica.

Isso também sinaliza que a aprovação do negócio não terá grande resistência do Cade (Conselho de Administração de Defesa Econômica), já que há pouca sobreposição entre as operações das duas empresas.

“Acreditamos que o Cade aprovará o negócio porque a análise deve ser baseada em uma base regional (148 relevantes mercados, segundo a ANS) e sobreposição muito limitada. Estrategicamente, eles dobrariam sua participação no mercado (para 17,7%)”, argumenta.

A visão é reforçada pelo BTG, que participou da teleconferência realizada pela Hapvida na última segunda-feira (11). Segundo a corretora, ambas as empresas se encaixam perfeitamente, pois seus ativos são altamente complementares.

“Isso também é verdade no estado de São Paulo, onde a Hapvida é líder em market share no interior enquanto a NotreDame é a número um na cidade de São Paulo”, argumenta.

12