Capitolio


Por que os fundos de previdência crescem nas fintechs?

12 de fevereiro 2021

As fintechs e insurtechs têm conquistado cada vez mais espaço e, entre tantas explicações para o fenômeno, está o fato de que essas startups oferecerem soluções simples para problemas do dia a dia, além de uma experiência diferente à atual que recebe, por exemplo, das seguradoras tradicionais.

E fazem isso num ambiente altamente regulado, que é o do mercado financeiro.

Como vivemos imersos em tecnologia – que está no DNA dessas empresas -, nada mais natural que essas companhias ganhem terreno rapidamente, como aponta o levantamento “Inside Fintech Report”. O estudo diz que somente nos dez primeiros meses de 2020, foram aportados mais de US$ 1 bilhão nas fintechs brasileiras, montante 22% superior aos US$ 823 milhões de janeiro a outubro do ano anterior.

As fintechs ofertam os mesmos produtos e serviços que as grandes instituições há anos oferecem, como meios de pagamentos instantâneos, entre os quais o recém-lançado Pix, e funcionalidades diversas.

A maneira como o fazem é o que tem atraído de forma crescente um tipo específico de investidor: os participantes dos fundos de previdência aberta.

Veja mais

Autor: John Liu
Referência: Valor Econômico