Capitolio


Ex- diretor do Banco Central diz que Reformas Administrativa e Tributária podem ser tratadas em simultâneo

18 de fevereiro 2021

O economista Alexandre Schwartsman afirma que a reforma mais importante para o País no momento é a Tributária, ao passo que a Administrativa, se bem-feita, a mais urgente, em entrevista exclusiva publicada na nova edição (915) da Revista de Seguros, publicada pela Confederação Nacional das Seguradoras – CNseg. Nada impede, contudo, que as duas tramitem simultaneamente no Congresso.

Segundo o ex-diretor do BC, as reformas são necessárias para cumprir o teto de gastos e, de alguma forma, aliviar o ritmo de crescimento da despesa obrigatória.  A seu ver, o Brasil sabe o que precisa fazer para não entrar em uma ciranda de inflação e recessão nos próximos anos.  Mas as perspectivas de uma Reforma Administrativa ineficaz são reais, o que, na sua opinião, colocará em risco o teto de gastos. Confirmando-se esse temor, o País conviverá com um ciclo inflacionário permanentemente mais alto dentro de dois ou três anos, incapaz de ser contido pelo Banco Central. “Se não mantiver o teto de gastos, a válvula de escape vai se dar pela inflação”, adverte ele.

Ele explica que o principal propósito de Reforma Tributária deve ser o de “eliminar um grande conjunto de instruções que afetam a produtividade”. Além disso, a reforma tributária tem efeitos distributivos, algo igualmente relevante para o País. A íntegra da entrevista de Schwartsman está disponível no link:

https://cnseg.org.br/publicacoes/revista-de-seguros-n-915.html.

Referência:CNseg