Capitolio


Hospital privados pedem leito ao SUS para doente sem plano

17 de março 2021

Hospitais particulares fizeram 30 pedidos de leito à rede pública da capital em quatro dias, segundo o secretário municipal da Saúde, Edson Aparecido.

Pelo menos 30 solicitações por leitos foram feitas por hospitais privados para a rede pública de saúde em São Paulo nos últimos quatro dias. Até o momento, 15 hospitais fizeram os pedidos. Segundo a informação, dada pelo secretário municipal da Saúde Edson Aparecido à CBN e confirmada pelo Estadão, as solicitações ocorrem no momento em que o aumento dos casos de Covid pressiona hospitais públicos e privados do Estado.

Na entrevista à rádio, Edson Aparecido informou que os pedidos se deveram ao quadro de lotação dos hospitais. Cinco redes – Nove de Julho, Leforte, Santa Paula, São Cristóvão e Nipo-brasileiro – informaram ter atendido inicialmente pacientes sem convênio médico e disseram ter ajudado na transferência ao SUS. A Rede São Camilo disse que “desconhece a informação”. “Nos últimos quatro dias, nós tivemos a solicitação de 30 leitos de enfermaria e de UTI para poder atender a um conjunto de hospitais privados e de convênio, que já estão com seus equipamentos completamente esgotados e lotados.”

O secretário destacou que a situação é inédita na capital. “A pandemia criou esse tipo de necessidade, infelizmente.” E a forma de ressarcimento será avaliada depois, inclusive juridicamente, porque a gestão municipal tem alugado leitos da rede privada desde o ano passado.

Os hospitais Avicena, Albert Sabin, Nove de Julho, Edmundo Vasconcelos, Leforte, Vida’s e NS de Lourdes solicitaram uma vaga. Igesp, São Camilo e Maternidade São Miguel pediram dois leitos. Nipo-brasileiro, IAVC, Santa Paula e Santa Virgínia, três. E o Hospital São Cristóvão, cinco.

Em nota, o Grupo Leforte informou que a solicitação foi feita para casos de pacientes sem convênio médico. “Os pedidos de transferência feitos para a rede do SUS atendem aos pedidos dos familiares de dois pacientes que foram acolhidos, encontram-se internados e recebendo todo o atendimento, mas não possuem plano de saúde.”

Os hospitais Nove de Julho e Santa Paula disseram que o a solicitação de leitos “é um procedimento comum quando o paciente que ingressa ao pronto-atendimento não tem plano de saúde ou não pode arcar com os custos como particular”. E disseram que os pacientes estão internados “sob cuidados da equipe médica até que a transferência seja feita em segurança”.

Médico e presidente do Sindicato dos Hospitais, Clínicas e Laboratórios do Estado de São Paulo (Sindhosp), Francisco Balestrin diz que os hospitais devem ter feito as solicitações após pedidos dos pacientes. “Provavelmente, são os pacientes que vão nos hospitais e buscam uma alternativa pública. Tem hospital que faz essa ponte.”

Em nota, a Prefeitura admite que “essas solicitações de transferências podem estar ligadas ao fato de o paciente não ter condições de concluir o tratamento integral na rede particular”. “Esclarecemos que essas solicitações são feitas por meio da Central de Urgência e Emergência do Complexo Regulador Municipal (Crue) da SMS por meio da plataforma da Central de Regulação (Cross).”

Autor: Paula Felix
Referência: Estado de São Paulo