Capitolio


UTIs particulares seguem lotadas, afirma Balestrin

14 de abril 2021

Taxa de ocupação de unidades de terapia intensiva é alta e hospitais ainda registram escassez de medicamentos e oxigênio

Cerca de 65% dos hospitais privados paulistas registram uma ocupação de leitos de UTI entre 91% e 100%, afirmou Francisco Balestrin, presidente do SindHosp, entidade que representa instituições particulares do Estado de São Paulo.

Durante a Live do Valor, ontem, o dirigente afirmou que a situação já foi pior, mas a pressão sobre o sistema de saúde por causa da pandemia de covid-19 ainda é muito alta. Cerca de 10% dos hospitais têm taxa de ocupação acima de 100%, ou seja, com pacientes intubados em enfermarias por falta de leitos em unidades de terapia intensiva.

Balestrin observou que o aumento de internação de jovens nas UTIs é um dos responsáveis pela superlotação dessas unidades. Eles permanecem mais tempo em terapia intensiva, contribuindo para manter altas as taxas de ocupação. “O tempo médio de internação aumentou 30% com o afluxo de pacientes mais jovens”, afirmou.

Veja mais

Autor: Ana Conceição e Beth Koike
Referência: Valor Econômico