Capitolio


Bradesco lança fundo que prioriza valores ambientais

16 de abril 2021

Carteira é formada por empresas que mantêm a sustentabilidade como foco de suas ações, ou seja, que seguem os princípios ESG, aplicações que ganham cada vez mais o mercado

A Bradesco Vida e Previdência acaba de lançar dois fundos de previdência privada formados por empresas com alto grau de comprometimento ambiental, responsabilidade social e governança corporativa. Práticas que seguem os princípios ESG, sigla em inglês para Environmental, Social and Governance.

Um deles, o Bradesco Princípios ESG Global Fixed Income Crédito Privado PGBL/VGBL concentra investimentos em renda fixa e o outro, Bradesco Princípios ESG Equities Global PGBL/VGBL, investe em renda variável. Ambos realocam  os recursos dos investidores em ativos locais e internacionais.

Fundos esgAplicador valoriza produtos com práticas sustentáveis de ESG

Os novos fundos são administrados pela BRAM (Bradesco Asset Management). Estevão Scripilliti, superintendente executivo do Departamento Financeiro e de Investimentos da Bradesco Seguros, afirma que os incentivos às boas práticas ESG têm aumentado, refletindo os anseios dos investidores.

“Pesquisas mostram que clientes valorizam cada vez mais os produtos com práticas responsáveis, estando dispostos, inclusive, a pagar até 10% mais por um produto feito sob práticas ambientais e sociais sustentáveis”, explica Scripilliti.  “A Bradesco Vida e Previdência, em conjunto com a BRAM, reforça seu compromisso com o meio ambiente e as questões sociais e de transparência corporativa com reconhecimento mundial”, destaca.

Fundos ESG com aplicação no exterior

Os investimentos no exterior contam com exposição cambial e adotam a estratégia best-in-class, que seleciona os gestores com o mais elevado nível, como BlackRock, PIMCO, Morgan Stanley e Nordea. Em relação aos ativos domésticos, a análise integra as questões ESG nas decisões de investimento em todas as estratégias dos fundos e classes de ativos.

A exposição cambial refere-se ao risco de moeda, à possibilidade de o valor do ativo em que o dinheiro está investido no exterior aumentar ou diminuir como consequência de mudanças na cotação da moeda.

O valor inicial para aplicação é de R$ 50. Os fundos chegam a ter 40% de exposição no mercado internacional em ações de empresas com boas práticas ambientais, de inclusão social e de governança corporativa.

Os produtos são pensados especialmente para os investidores qualificados – aqueles que têm condições adequadas para avaliar o risco de aplicações financeiras e dispõem de pelo menos R$ 1 milhão em investimentos no mercado financeiro.

A taxa de administração máxima do Bradesco Princípios ESG Global Fixed Income Crédito Privado PGBL/VGBL é de 0,8% ao ano e a do Bradesco Princípios ESG Equities Global PGBL/VGBL, de 1,8% ao ano.

Referência: DCI