Capitolio


Rede privada diz que ‘sufoco’ diminuiu

06 de maio 2021

Na rede privada, de acordo com Francisco Balestrin, presidente do Sindicato dos Hospitais, Clínicas e Laboratórios do Estado de São Paulo (Sindhosp), as unidades relatam queda nas solicitações por internação por covid-19. “Não houve queda no número de internações, mas uma diminuição de pressão para internação. Na penúltima pesquisa que divulgamos, 100% dos hospitais estavam tendo uma pressão para internação de pacientes com covid. Na pesquisa passada, passou para 65%. Agora, está em 17%. Antes, tinha fila muito grande de pessoas que precisavam ser internadas. Desta vez, essa fila diminuiu. A sensação de sufoco melhorou.”

A pesquisa, realizada com 98 hospitais, apontou que 79% das unidades estão com ocupação de UTI acima de 80%, mas o quadro é melhor do que o registrado no início do mês passado. “Na pesquisa anterior, 65% dos hospitais estavam com taxa de ocupação das UTIS de 91% a 100%. Nesta, são 33%. Agora, só 4% relatam que estão com taxa acima de 100% de ocupação. Na anterior, eram 17%.”

No Hcor, a taxa de ocupação de leitos apenas para covid-19 está em 79% e a ocupação geral é de 88%. No Hospital Sírio-libanês, a ocupação geral, que inclui pacientes sem o novo coronavírus, está em 83%. Em seu boletim, o Hospital Nipo-brasileiro informou que a ocupação de UTI covid é de 90%. Já a UTI não covid está com 92% de ocupação. Apesar da redução, Balestrin diz que a situação está longe de ser considerada positiva. “A população ainda precisa perseverar nas medidas não farmacológicas: máscara, distanciamento e lavagem das mãos, enquanto não é vacinada.”

Autor: Paula Felix
Referência: Estado de São Paulo