Capitolio


Registro de transtornos tem avanço exponencial

07 de maio 2021

Operadoras de saúde estruturaram e ampliam atendimento remoto para problemas psíquicos

Responsáveis pelos serviços médicos de aproximadamente 48 milhões de brasileiros, as operadoras privadas de saúde tiveram de se estruturar, a toque de caixa, não só para atender a avalanche de casos de covid-19, mas também os muitos registros de abalo emocional relacionados à pandemia. Para dar conta dos incômodos mentais dos beneficiários, a primeira providência dessas empresas de saúde foi implantar – ou ampliar, caso já existisse – o atendimento remoto para apoio psicológico e classificação de cada relato, conforme a gravidade.

Os relatos de desconforto mental que chegam às operadoras de saúde são, em geral, crises de ansiedade, monitoradas em sessões de videoconferência ou chats, com a ajuda de psicólogos e enfermeiras treinadas – as internações hospitalares são indicadas apenas em situações graves, nas quais o risco de suicídio não pode ser descartado. Mas registros de transtornos emocionais de todos os níveis de gravidade cresceram exponencialmente desde março de 2020.

Veja mais

Autor: Luiz Maciel
Referência: Valor Econômico