Capitolio


Insatisfeita com gestão, Caixa intervém na Funcef e troca a diretoria

18 de maio 2021

Depois de diversos sinais de alerta, a Caixa decidiu intervir na Funcef, o fundo de pensão do banco, pedindo a troca de três diretores, inclusive o presidente do conselho da fundação, que administra R$ 80 bilhões em aplicações para garantir as aposentadorias privadas dos funcionários.

Na Funcef desde 2016, Renato Villela presidia a fundação desde fevereiro de 2019. Ele será substituído pelo atual vice-presidente de Riscos da Caixa, Gilson Costa de Santana, funcionário desde 2007 e que foi gerente de previdência da Funcef.

Também deixam o cargo Andréa Morata Videira e Wagner Duduch. Ambos eram diretores de investimento desde setembro de 2020. Serão substituídos por Almir Alves Júnior (atual diretor-executivo na Caixa Participações) e Samuel Crespi (diretor-exeCutivo de Produtos e Serviços de Atacado da Caixa).

No centro da divergência estava a resistência da direção da Funcef em implementar mudanças na política de investimento para reduzir o risco em aplicações e melhorar a governança, que, segundo a Caixa e integrantes do próprio fundo, concentrou poder demais na mão da diretoria.

A Caixa não queria mais a manutenção de uma estratégia de investimento que vem afetando as aposentadorias. Hoje, os inscritos no fundo são obrigados a arcar com metade de um rombo de R$25 bilhões gerado por investimentos feitos durante a gestão do governo do PT e que foram alvo de operações da Polícia Federal.

Perdas similares ocorreram em outros fundos de pensão estatais que foram usados politicamente. Segundo o TCU, os principais (por volume de beneficiários e aplicações) amargaram perdas de R$ 86 bilhões.

Na Funcef – terceiro maior fundo de previdência do país, com 135,9 mil associados- , dependendo do plano pelo qual cada funcionário optou, o desconto na folha de pagamento (ou do benefício) para cobrir esse buraco varia de 25% a 50%.

Esse desconto seria menor não fosse o baixo desempenho dos investimentos, ainda muito concentrado em ações da Vale e em fundos de renda fixa, que vêm rendendo pouco em um cenário de juros baixos.

A diretoria anterior também resistia a criar fundos imobiliários com os imóveis da Funcef. Recentemente, a Caixa criou um fundo dessa natureza de R$ 400 milhões com suas agências.

Procuradas, a Caixa e a Funcef não quiseram comentar o assunto.

Autor: Julio Wiziack
Referência: Folha de São Paulo