Capitolio


Saída de executivo na Previ acende sinal de alerta no mercado

26 de maio 2021

Ação do BB inverte tendência e recua 1,34%. Analista diz que investidores vão acompanhar definição do sucessor

A renúncia de José Maurício Pereira Coelho, presidente da Previ, maior fundo de pensão do país acendeu o sinal de alerta no mercado, que viu na mudança de comando mais uma interferência do governo. Os papéis ordinários do Banco do Brasil inverteram o rumo após a notícia. Durante a manhã, chegaram a subir 0,41%, mas encerraram o pregão em baixa de 1,34%. Segundo André Queme, sócio da Rio Gestão de Recursos, o mercado vai acompanhar com atenção a definição do nome do sucessor, para ter a dimensão exata do que significa a troca no comando:

– Sempre que se tem algum tipo de mudança em fundos de pensão de empresas estatais ou de economia mista, o mercado olha com lupa para ver o que é. Positivo não é, mas vai depender de quem vai entrar no lugar do José Maurício. Por enquanto, acendeu a luz amarela, é um ponto de atenção.

As preocupações com a ingerência do governo ganham fôlego com a mudança anunciada uma semana após a troca de cadeiras promovida pela Caixa na direção da Funcef.

Com R$ 230 bilhões em ativos totais, a Previ está entre os maiores fundos de pensão da América Latina. A fundação foi criada em 1904, antes mesmo da Previdência oficial do país e conta hoje com 430 mil participantes, entre aposentados, ativos e dependentes.

Em 2020, a Previ terminou o ano no azul com resultado positivo de RS 11,54 bilhões e superávit acumulado de R$ 13,92 bilhões no chamado Plano 1, de benefício definido, que agrupa a parcela mais relevante dos recursos.

ACIONISTA DE PESO

A recuperação expressiva da Bolsa nos dois últimos trimestres garantiu uma rentabilidade acumulada de 17,2%, superando a meta atuarial (taxa de retorno anual que a fundação precisa bater todo ano para manter sua solvência), de 10,46%, informou a empresa.

Com forte presença no mercado acionário, a Previ participou de quatro das 27 novas ofertas de ações na Bolsa no ano passado. O fundo separou R$ 630 milhões para aplicar em IPOs e comprou ações de Rede D’Or, Petz, Quero-Quero e Grupo Mateus, além de ter participado do fòllow-on (oferta subsequente) da Rumo. Segundo um analista de mercado, que prefere não se identificar, a Previ ainda tem a maior carteira de renda variável dos fundos de pensão, com cerca de 45% do total de recursos sob gestão alocados em ações:

– As maiores posições da Previ estão em Petrobras, Banco do Brasil, Itaú, Ambev e BRF. Mas a maior exposição é na mineradora Vale.

A fatia da Previ soma R$ 55,5 bilhões em ações na mineradora.

Autor: João Sorima Neto e Stephanie Tondo
Referência: O Globo