Capitolio


Após pandemia, teleconsulta deve crescer até 15% por ano

27 de maio 2021

Estimativa é da Associação Nacional dos Hospitais Privados 

A demanda por consultas via telemedicina deve atingir seu ápice neste primeiro semestre. “Após a pandemia, a expectativa é que a procura pelos atendimentos on-line caia cerca de 50%. Esse fenômeno de queda mais forte após o pico é normal com ferramentas digitais, mas depois a expectativa é que volte a crescer entre 10% a 15% por ano”, disse Eduardo Cordioli, coordenador do grupo de trabalho de telemedicina da Associação Nacional dos Hospitais Privados (Anahp) e gerente médico do Hospital Israelita Albert Einstein.

Nesse primeiro semestre, 60% dos hospitais participantes do levantamento da Anahp informaram que até 25% de suas consultas estão sendo realizadas remotamente. Em 20% dos hospitais o teleatendimento representa até metade das consultas e no restante, esse percentual chega a 75%.

Cordioli, que faz parte do grupo de trabalho para regulamentação da telemedicina junto com o governo e entidades médicas, acredita que haverá, inclusive, um aumento no volume total de atendimentos médicos (presenciais e on-line) após a pandemia. Esse incremento deve vir do público que atualmente não vai a médicos devido a questões como distância geográfica e falta de tempo, entre outros.

Veja mais

Autor: Beth Koike
Referência: Valor Econômico