Capitolio


Cartela

01 de junho 2021

Painel S.A

A FenaSaúde, que reúne os 15 maiores planos de saúde do país, vai voltar a marcar posição em uma audiência pública no Congresso nesta terça (1º) na velha queda de braço sobre a cobertura dos medicamentos quimioterápicos de uso oral pelas operadoras, que têm regras diferentes para o remédio endovenoso.

Bula

A entidade é contra o projeto de lei que tramita na Câmara pelo qual bastaria que o produto de via oral tivesse registro da Anvisa com uso terapêutico aprovado para que os planos de saúde fossem obrigados a bancar para o paciente. Hoje é necessário um aval adicional da ANS.

Sintoma

A FenaSaúde diz que defende que os remédios orais sejam incorporados à lista de cobertura dos planos, mas só depois de passar por avaliação técnica da agência reguladora. Segundo a entidade, os planos já cobrem o tratamento de todos os tipos de câncer.

Autor: Joana Cunha
Referência: Folha de São Paulo