Capitolio


Planos de saúde

07 de junho 2021

Os resultados do primeiro trimestre de 2021 de seguradoras e operadoras de planos de saúde retratam o impacto financeiro que a segunda onda da Covid-19 provocou, com os mais jovens infectados, ocupando mais tempo em leitos de UTI Com exceção da Bradesco Saúde, cujo lucro líquido saltou 72,5%, de RS 182 milhões para R$ 314 milhões, puxado por receita financeira, os números encolheram em outras companhias.

A Notredame Intermédica registrou prejuízo de RS 27,9 milhões; a Hapvida, o resultado líquido de R$ 151,8 milhões recuou 7,7%; na Sulamérica, o lucro de RS 54 milhões diminuiu 22,9%; e na Porto Seguro, os RS 28,6 milhões representaram queda de 22,3%, na comparação com o primeiro trimestre de 2020.

Referência: Correio do Estado