Capitolio


O que explica a mudança de comportamento do brasileiro em previdência

11 de agosto 2021

Nos últimos tempos houve um ligeiro aumento de aportes em fundos mais arriscados, como multimercados e balanceados

Em uma rápida análise sobre quais fundos de investimento os participantes de previdência privada estão escolhendo, percebe-se que nos últimos tempos houve um ligeiro aumento de aportes em fundos mais arriscados, como multimercados e balanceados.

Segundo dados do Relatório Mensal de Ativos de janeiro de 2021, divulgado pela Federação Nacional de Previdência Privada e Vida (FenaPrevi), a participação dos produtos com maior grau de risco passou de 10% em dezembro de 2017 para 19% ao final de 2020. Se levarmos em consideração que se trata de um estoque total de R$ 1 trilhão, esta mudança perceptível no volume total, em um espaço de tempo tão curto, demonstra que o movimento foi de grande relevância.

Esta mudança também é perceptível nos dados de captação líquida. Em 2020, por exemplo, enquanto os fundos de renda fixa apresentaram captação negativa de R$ 15,4 bilhões, os fundos multimercado captaram R$ 21,2 bilhões.

Veja mais

*John Liu é diretor de Investimentos da Zurich no Brasil

Autor: John Liu
Referência: Valor Econômico