Capitolio


Seguro de vida cresce 19% no primeiro semestre

31 de agosto 2021

A preocupação com a saúde e bem-estar das famílias e a conscientização sobre a necessidade de proteger o patrimônio financeiro em caso de perda de renda ou doença grave têm favorecido o mercado de seguro de vida.

De acordo com dados da Susep, o seguro de vida teve crescimento de 19,1% no primeiro semestre, em relação a igual período de 2020, correspondendo a um aumento de R$ 1,75 bilhão na arrecadação de prêmios, para R$ 24,4 bilhões.

Também registra o menor número de cancelamentos de apólices. “Apesar de todas as perdas envolvidas nesta crise sanitária, ela despertou as pessoas para a necessidade de se fazer um check-up da saúde financeira das famílias”, afirma Bianca Mangraviti, head comercial B2B da XP Inc, no evento XP Expert.

Segundo Helder Molina, CEO da MAG Seguros, a pandemia acelerou os projetos de inovação das seguradoras e mostrou à sociedade o propósito do setor: proteger famílias de imprevistos financeiros. “O setor avançou dez anos em 30 dias. Não podemos trazer a vida de uma pessoa de volta, mas podemos dar um alívio financeiro para um recomeço”, afirma. O setor pagou indenizações para mais de 10% das mortes confirmadas por covid-19. “Queríamos pagar para 100% das pessoas que tiveram perdas. Mas, infelizmente poucos ainda têm seguro de vida no Brasil.”

Luciano Snel, CEO da Icatu Seguros, dimensiona o impacto social. Já foram pagos R$ 3,8 bilhões em indenizações por mortes provocadas pela covid-19 entre abril de 2020 e julho de 2021. Quase 86 mil apólices foram acionadas, diante das mais de 577 mil mortes registradas desde o início da crise. Deste total, R$ 2,8 bilhões foram pagos em 2021. Cerca de 90% do valor pago foi por morte.

Veja mais

Autor: Denise Bueno
Referência: Valor Econômico