Capitolio


Preço de remédio para hipertensão vai subir com reforma do IR, dizem fabricantes

03 de setembro 2021

Indústria farmacêutica prevê impacto em medicamentos para câncer e Aids

Fabricantes de medicamentos subiram o tom das críticas e divulgaram projeções de alta nos preços depois que a Câmara aprovou o texto-base do projeto de lei que altera as regras do Imposto de Renda nesta quarta (2).

“Estamos muito preocupados. A carga tributária vai subir, e essa conta vai cair sobre o consumidor de medicamentos e sobre o SUS. Vai aumentar o preço de remédios e até de sutura e agulha para vacina. Deve inviabilizar o Farmácia Popular”, diz Nelson Mussolini, presidente do Sindusfarma (que reúne a indústria farmacêutica).

Ele afirma que mais de 18 mil produtos farmacêuticos vão ficar 12% mais caros para o consumidor final por causa do fim de isenções de PIS Cofins. No SUS, as contas da indústria apontam impacto em mais de 18%, na média.

A mudança vai pesar sobre tratamentos de hipertensão, câncer, Aids, doenças cardíacas e diabetes, que estão na lista de substâncias isentas de PIS Cofins, segundo o Sindusfarma.

Autor: Joana Cunha
Referência: Folha de São Paulo