Capitolio


BofA avalia Amil em até R$ 20 bi e prevê venda fracionada

17 de janeiro 2022

Dasa e Rede D’Or são consideradas as favoritas na possível venda da unidade brasileira da UnitedHealth

O Bank of America Merrill Lynch (BofA) avalia a venda da UnitedHealth Brasil, dona da Amil no país, entre R$ 15 bilhões e R$ 20 bilhões, considerando que o grupo tem uma operadora com cerca de 3 milhões de usuários de planos de saúde e seus hospitais contam com 2,5 mil leitos.

Os cálculos do banco levam em consideração o histórico de transações com hospitais semelhantes que foram vendidos de R$ 2 milhões a R$ 4 milhões, cada leito. A carteira de planos de saúde é precifica, normalmente, entre R$ 2 mil e R$ 3 mil, por beneficiário.

Os analistas do BofA, Fred Mendes, Gustavo Tiseo e Mirela Oliveira, analisaram alguns cenários possíveis para a venda da Amil.

O primeiro deles é a divisão dos ativos – operadora e hospitais – para dois ou mais compradores. “Para Rede D’Or e Dasa, acreditamos que essa possibilidade faz mais sentido, pois elas comprariam os ativos hospitalares e um possível segundo player, como a SulAmérica ou mesmo o Bradesco, adquiriria os beneficiários. Dessa forma, não só reduziria o montante de caixa gasto na potencial aquisição, caso se concretize, mas também abordaria um possível futuro problema para Dasa e Rede D’Or, que seria competir no mercado de planos de saúde, o que poderia prejudicar as atuais parcerias com algumas operadoras”, informa trecho do relatório do BofA.

O segundo cenário, vislumbrado pelos analistas, seria a compra do ativo por um único operador. Eles acreditam, no entanto, que a possibilidade de venda de todo o ativo para uma grande seguradora é remota dada a dimensão da potencial aquisição ser no segmento de planos de saúde, com rentabilidade limitada.

Veja mais

Autor: Beth Koike
Referência: Valor Econômico