Capitolio


Cardápio

22 de fevereiro 2022

Coluna Broadcast

O Neon vai entrar para o time das fintechs brasileiras com seguro para chamar de seu. Por meio de uma parceria com a BNP Paribas Cardif, a marca venderá seguros de proteção financeira, bens e vida em seu aplicativo. As instituições não dizem quantas apólices querem vender, mas veem potencial: 80% dos clientes do Neon não têm seguros, e a principal barreira é o preço. Para a fintech, é uma oportunidade de diversificar receitas. Para a seguradora, é mais um canal de distribuição.

Feijoada Completa. Um dos maiores neobancos do País, com mais de 15 milhões de clientes, o Neon tem fontes de receita semelhantes aos rivais: os cartões de crédito e débito respondiam por cerca de metade delas no primeiro semestre de 2021. Os seguros podem ajudar a reduzir a dependência dos cartões, que têm risco de crédito.

Braços Dados. A parceria, que terá produtos com mensalidades a partir de R$ 4,99 ao mês, começa pouco após o Neon receber aporte de R$ 1,6 bilhão do espanhol BBVA, que viu na fintech uma chance de voltar ao varejo bancário do País 20 anos após sua primeira (e frustrada) tentativa. Embora não haja relação entre os dois acordos, a presença do BBVA deve impulsionar várias frentes do Neon, inclusive a de seguros.

Referência: Estado de São Paulo