Capitolio


Novos negócios dividem sala, bike e cadeirinha de bebê

30 de março 2022

Economia compartilhada pode alcançar US$ 335 bilhões até 2025 em todo o mundo

Negócios baseados na economia compartilhada mantêm ritmo de escalada. Uma projeção da empresa de análises de dados Statista indica que setor deve alcançar US$ 335 bilhões até 2025, em todo o mundo, ante US$ 15 bilhões registrados em 2014. O conceito abrange o acesso a bens que podem ser usados temporariamente por vários consumidores, com a ajuda de plataformas on-line. Uber e Airbnb foram exemplos pioneiros.

Hoje, além de serviços de táxis e hospedagem, é possível escolher desde moradias para longas estadias e escritórios, até bicicletas e cadeirinhas de bebê. Para empresas do setor, o compartilhamento de ativos e serviços colabora com a sustentabilidade das cidades e com a economia de recursos dos cidadãos.

Fundada em 2013 pelo empresário Fernando Bottura, a GoWork se especializou em escritórios corporativos. Está em 14 prédios em São Paulo, com 7,7 mil posições de trabalho e 5,3 mil clientes. Em 2019, recebeu um aporte de valor não revelado do fundo Leste Private Equity para pavimentar o crescimento. “Pretendemos chegar a outros Estados”, diz Bottura.

Em fevereiro, anunciou um investimento de R$ 20 milhões em um novo empreendimento na Avenida Paulista, destinado ao coworking exclusivo da Qualicorp, de seguros e planos de saúde, com 1,4 mil estações de trabalho. Agora, o plano é lançar quatro novos endereços em 2022, com expectativa de crescimento de 50% na receita, em relação a 2021. Os preços mensais começam em R$ 900, por usuário.

Veja mais

Autor: Jacilio Saraiva
Referência: Valor Econômico