Capitolio


Com nova marca, Porto ressalta diversificação

13 de abril 2022

Companhia passa a se chamar apenas Porto e oficializa estrutura com três verticais independentes

Garfinkel, da Porto: De negócio familiar para conglomerado com vários negócios

A marca Porto Seguro ficou na história. A holding passou a se chama apenas Porto. Anunciada ontem num evento da companhia, a decisão de retirar o “Seguro” do nome é emblemática do novo momento do grupo. A mudança consolida um projeto que começou a ser concretizado quando Jayme Garfinkel transferiu o leme do conglomerado para o filho Bruno Garfinkel, em maio de 2019.

Na ocasião, Bruno Garfinkel se tornou o novo presidente do conselho de administração e assumiu uma missão desafiadora: manter a expansão do principal negócio, os seguros, mas também diversificar as áreas de atuação do grupo e levar a companhia a um novo patamar em termos de inovação. “Daquele dia até hoje dá para ver a diferença entre a contemplação e admiração de um negócio familiar para um conglomerado formado por vários negócios com objetivos diferentes”, afirma.

Ainda em 2020, a Porto implementou uma estratégia na qual dividiu a companhia em quatro verticais: seguros, saúde, financeira e serviços. Cada uma das áreas passou a atuar com maior autonomia, porém, ainda coordenadas pela estrutura central da holding. A alta direção e o conselho também estabeleceram como meta dobrar a base de clientes do grupo até 2025. Na época, eram 8,5 milhões, ou seja, o objetivo colocado foi de atingir 17 milhões em cinco anos.

Segundo o presidente do conselho, a Porto hoje, como um todo, já está com quase 13 milhões de clientes. “A ambição de crescer poderia ser ruim se fosse feita só pelo fato de crescer. Mas a meta ajudou a gente a produzir, através das estratégia de verticais, uma grande transformação para os negócios”, diz.

Veja mais

Autor: Sérgio Tauhata
Referência: Valor Econômico