Capitolio


Piso de enfermagem afeta mais Hapvida

19 de julho 2022

Operadora terá redução de 6,5% no Ebitda, nos grupos hospitalares o reflexo é de cerca de 2%, segundo BTG

A aprovação de um piso salarial para a categoria de enfermagem, cujo projeto de lei foi enviado na sexta-feira ao presidente Jair Bolsonaro, trará em 2023 um impacto de 6,5% no lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) da Hapvida.

Para a Rede D’Or, o impacto esperado é de 1,9%; na Dasa, de 1,5% e na Mater Dei, 2,3%. As projeções são do BTG.

“Embora negativo para todos os players, grandes consolidadores estão mais bem preparados para compensar aumentos de custos por meio de medidas de eficiência ou aumentos de preços”, informa trecho do relatório do BTG, assinado por Samuel Alves, Yan Cesquim e Pedro Lima.

A criação de um piso nacional reflete de forma distinta entre as companhias porque hoje o salário dos enfermeiros tem grande variação conforme a região. No Nordeste, onde a Hapvida tem maior presença, o rendimento é menor. Na Paraíba, o salário é de R$ 2 mil e em São Paulo, de R$ 4,1 mil.

Veja mais

Autor: Beth Koike
Referência: Valor Econômico