Capitolio


Oferta do IRB deve ficar em R$ 1,2 bi, mas investidores pedirão desconto por ações

16 de agosto 2022 Paulo Araripe Jr.

Coluna Broadcast

O anúncio de que o IRB Brasil Re avalia uma nova oferta de ações derrubou os papéis da resseguradora em 10%, maior queda da B3 ontem. A emissão deve ser da ordem de R$ 1,2 bilhão e será feita novamente para atender à necessidade de capital para aumentar a chamada suficiência regulatória, que a grosso modo indica a sustentabilidade de suas operações. O anúncio não foi exatamente uma completa surpresa. Nas divulgações de resultado, a resseguradora vinha sendo questionada sobre a necessidade de buscar recursos e os analistas já falavam dessa possibilidade. O cenário delicado causado pela reestruturação que a empresa passa desde 2020 foi agravado, neste ano, por números negativos no resseguro rural, afetados pela seca.

Capitalização é discutida desde janeiro

A oferta de ações pode acontecer ainda este mês, mas a possibilidade de aumento de capital é discutida internamente desde o começo do ano. Há alguns meses, Itaú BBA e Bradesco BBI, os bancos de investimento dos dois maiores acionistas do IRB, foram contratados para sondar a capitalização do grupo.

Acionistas devem participar da operação

De acordo com uma fonte, para emplacar a operação, será preciso um bom desconto em relação ao preço do papel, que começou o dia ontem cotado a R$ 2,15. Os maiores acionistas devem entrar na oferta. Em maio, a empresa teve prejuízo de R$ 273,1 milhões, revertendo lucro de R$ 7,5 milhões.

Reforço

Envolta em uma série de escândalos, resseguradora IRB precisará de capital novo para garantir sustentabilidade de operações.

São Pedro – De janeiro a março, a resseguradora foi afetada pelos pedidos de indenização no segmento rural, que saltaram 81,8%, para R$ 329,7 milhões no País. Segundo o IRB, as perdas vieram de culturas como a soja, e aconteceram principalmente na Região Sul do País e no centro-sul do Mato Grosso do Sul.

Cascata – O mesmo efeito foi visto nas seguradoras que operam no segmento, e que fazem um “seguro” de suas apólices com as resseguradoras.

Busca – Esse efeito chegou num momento de reestruturação. Desde a descoberta de fraudes, em 2020, o IRB busca uma exposição maior ao Brasil e a países da América Latina. O problema é que os contratos cancelados de lá para cá ainda geram pedidos de indenização, que a companhia é obrigada a atender porque, embora sejam feitos após o cancelamento, se referem a eventos ocorridos durante a vigência do contrato.

Em Crise – A resseguradora líder do mercado vê suas ações desabarem com a crise que abala a companhia. Os papéis que giram hoje em torno de R$ 2 chegaram a valer R$ 100, mas foram abatidos pela crise de imagem dos escândalos contábeis e as dificuldades para a retomada de bons resultados.

Histórico – Em 2020, o IRB levantou R$ 2,3 bilhões em uma emissão privada de ações, também para suprir necessidades de capital. À época, cada papel saiu a R$ 6,93, mais de três vezes o preço nesta segunda.

Referência: Estado de São Paulo