Capitolio


Icatu: seguro de vida para PMEs cresce 31%

07 de outubro 2022 Paulo Araripe Jr.

Comércio, prestadores de serviço e construção lideram contratações

A pandemia evidenciou a necessidade de proteção e de planejamento financeiro familiar, o que contribuiu não apenas para a conscientização das pessoas, mas também dos empresários em relação às suas empresas e colaboradores. Reflexo disso é o crescimento nas pequenas e médias empresas por produtos que agregam seguro de vida e outros benefícios.

Na Icatu, seguradora especialista em soluções de Seguro de Vida, Previdência, Capitalização e Investimentos, o crescimento foi de 31% na contratação do Icatu Vida PME, no consolidado de janeiro a junho de 2022, comparado ao mesmo período do ano anterior.

De acordo com Luciana Bastos, diretora de produtos de Vida da Icatu, desde o lançamento do produto, em 2019, a companhia tem notado um constante crescimento. “Entre 2019 e 2020, além do crescimento em números de vendas, houve um aumento de 25% no faturamento. Já no primeiro semestre de 2021, tivemos um aumento de 39% em relação ao primeiro semestre de 2020 e de 79% em relação ao primeiro semestre de 2019”, analisa. Atualmente, a região que apresentou maior crescimento na oferta do Vida Icatu PME foi Minas Gerais, com 83%, seguida do Nordeste, com 66%, e Rio de Janeiro, com 63%.

Diante do boom do seguro de vida no Brasil, a Icatu tem investido em atualizações no produto. Uma das recentes novidades é a inclusão BetterFly – plataforma que une bem-estar, proteção financeira e impacto social em um aplicativo exclusivo, além de um seguro de vida dinâmico, desenvolvido pela Icatu – como mais um benefício do Icatu Vida PME.

A nova assistência está disponível para segurados de 18 a 75 anos, nos produtos Vida em Grupo e Acidentes Pessoais Coletivo. “Esse benefício contribuirá para a fidelização, retenção e atração de talentos das pequenas e médias empresas, que hoje possuem grande representatividade econômica em nosso país. No Brasil, elas representam mais de 90% dos negócios e mais de 25% do PIB nacional, de acordo com o Sebrae. Então, esse segmento é de extrema relevância para ampliar e democratizar a proteção financeira aos brasileiros. Enxergamos um grande potencial no estímulo ao bem-estar, por meio do engajamento da plataforma”, afirma a executiva.

Referência: Monitor Mercantil