Capitolio


Fundos de pensão podem levar quase R$ 40 bilhões ao ano para infraestrutura

29 de setembro 2023 Paulo Araripe Jr.

Coluna do Broadcast

A tentativa de pelo menos dez anos de trazer os fundos de pensão para financiar a infraestrutura começa a se materializar com a aprovação no Congresso de debêntures com incentivo fiscal. A entrada em vigor da lei das debêntures de infraestrutura, ainda sem data prevista, pode disponibilizar investimento nesses papéis de quase R$ 40 bilhões, montante que os fundos de pensão destinam a investimentos alternativos, dos quais as debêntures têm sido maioria. Os fundos investiam cerca de 3,5% ao grupo até 2011, quando foram criadas as debêntures incentivadas e muitas empresas deixaram de emitir papéis interessantes a eles. Em 2022, dedicaram só 1,2% do patrimônio aos alternativos, de acordo com a Abrapp (associação do setor).

Reforço traz visão de longo prazo

A perspectiva de trazer fundos de pensão e também seguradoras para financiar obras de infraestrutura é promissora considerando que o País tem uma agenda grande de projetos. Segundo Miriam Signor, sócia de infraestrutura do Lefosse, fundos e seguradoras são importantes porque olham para o longo prazo.

Isenção era concentrada na pessoa física

No fim de 2011, as debêntures incentivadas foram criadas para ajudar a financiar a infraestrutura e ofereciam isenção de Imposto de Renda ao investidor pessoa física. Com o benefício no investidor, os fundos de pensão não viram vantagem, pois têm isenção em títulos públicos e outros investimentos.

Referência: Estado de São Paulo