Capitolio


O PIX e seguros: novos negócios em 8 segundos

23 de fevereiro 2021 | Marcela Canavezes

Novos negócios, formas de pagamento e produtos estão na linha de frente das empresas do mercado segurador quando o assunto é o uso do PIX. Com a ferramenta de pagamento digital, a ideia é descomplicar, facilitar e – por que não – atrair novos clientes. Provavelmente, muito em breve, será usado como forma de cobrança, assim como o boleto, débito automático ou cartão de crédito, democratizando acesso a soluções de proteção financeira.

Para as empresas, é importante lembrar que alguns segmentos de seguros são muito impactados pelo custo do boleto. Sendo assim, o PIX apresenta-se como uma modalidade vantajosa para as seguradoras. Quando avaliada em escala para a cobrança de milhares de clientes, esse valor é praticamente zero. Um cenário bem diferente do que existe hoje.

Quanto aos tributos, também, é interessante. Em breve, se espera que também tenha a opção de protesto e desconto de IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) conveniado diretamente com os bancos, trazendo a segurança que já temos com o boleto bancário, porém com mais rapidez. As empresas passariam a receber o valor instantaneamente, e o D+1 usual dos pagamentos ficaria definitivamente no passado. E, em consequência para os clientes, tende a baratear o custo de apólice.

O PIX chega aos desbancarizados, aquela parcela de milhões de brasileiros que não possuem contas tradicionais nos bancos. Com o auxílio emergencial, esse número caiu 70% em 2020. Seriam esperados mais de 30 milhões de novos clientes para o mercado de seguros, que podem ter acesso tanto a produtos como capitalização, muitas vezes o primeiro contato com um recurso para emergência, como até mesmo apólices mais complexas, a exemplo de Responsabilidade Civil e de Transportes.

Para não perder essas movimentações financeiras, os bancos tradicionais e demais instituições, como as empresas do mercado segurador, estudam como vão conseguir criar pontos de contato e manter o relacionamento de longo prazo com estes novos clientes que chegaram não pela instituição em si, mas por seus meios de pagamento eletrônico – foi assim, aliás, que muitas delas conheceram o PIX.

E não tratemos apenas de prêmios. Os sinistros também podem ganhar com uma simplificação de pagamentos. Há quem indique que o prazo total para certos processos pode chegar a um dia. Ou seja, às 9h, o cliente solicita a indenização e envia a documentação e, ao longo do dia, o valor já estará a sua disposição.

2021 é o ano do PIX. Mais usuários, novas ferramentas e possibilidades. Em apenas 8 segundos, seu tempo de processamento, muitas operações vão mudar.