Capitolio


Uma análise da rentabilidade recente dos fundos de pensão

16 de fevereiro 2022 | Jair Ribeiro

Fatores que mais impactaram os resultados estão associados ao péssimo desempenho dos ativos financeiros do país no ano passado

Após os bons resultados alcançados no período de 2016 a 2019, quando a rentabilidade acima da inflação foi, em média, de 7,0% ao ano, os fundos de pensão brasileiros experimentaram um contratempo nos últimos dois anos.

Não há como deixar de ressaltar o grave cenário que o mundo e o Brasil vêm passando desde 2020, cujos impactos sociais e sanitários ainda são preocupantes. Em termos de rentabilidade dos ativos financeiros, 2020 deveria ter sido o mais impactado devido à fase inicial da pandemia, que provocou um forte abalo nos mercados, mas os números mostram que não foi bem assim.

Com base no estudo comparativo de desempenho da Aditus Consultoria Financeira, apuramos que, em 2020, a mediana de rentabilidade do patrimônio de mais de 300 planos fechados de previdência complementar foi de 2,9% acima do INPC, ficando no terreno positivo, mas abaixo da taxa real média de juro atuarial de 4,6% utilizada na atualização do valor econômico do passivo.

Já em 2021, calculamos que a mediana de rentabilidade foi para o terreno negativo e ficou em 4,9% abaixo do INPC, se distanciando mais ainda da meta atuarial. E quais seriam as razões para desempenho abaixo do anterior?

Certamente que o risco inflacionário tem sido um problema econômico mundial nestes tempos e, por questões da conjuntura interna, o fenômeno foi mais acentuado no Brasil do que em outros países, com a inflação oficial atingindo 10% e sendo um obstáculo mais difícil de ser superado pela gestão de investimentos.

Veja mais

Referência: Valor Econômico