Capitolio


Opinião

Resultados contábeis das operadoras de saúde ao final de 2022 e no 1º trimestre de 2023

23 de junho 2023 Marcio Serôa de Araujo Coriolano

A ANS divulgou ontem, 22/06/2023, os resultados do primeiro trimestre de 2023.

Embora a comparação seja limitada pela diferença de períodos, as planilhas que acompanham esta Nota (a do ano de 2022 e a do primeiro tri de 2023) mostram que o desempenho geral teve melhoria.

O que há em comum é a persistência de resultados operacionais (despesas contra receitas diretas) negativos. Outro aspecto em comum é a compensação desses resultados negativos pelas aplicações financeiras positivas, agora mais turbinadas pelo elevado patamar da taxa de juros que remunera as garantias técnicas (reservas). O fato é que o resultado líquido que se mostrou negativo em R$ 505,7 milhões em 2022 foi revertido para o sinal positivo de R$ 620,6 milhões no primeiro trimestre deste exercício.

Há diferenças substanciais quando observadas as modalidades e os portes das operadoras privadas de saúde. Por exemplo, em geral a modalidade de medicinas de grupo voltou a apresentar número negativo do resultado líquido, embora as grandes deste segmento tenham se saído bem.

Ainda haverá a publicação de mais três trimestres para confirmar ou não a melhoria do desempenho setorial. O cenário continua “desafiador”, termo este muito utilizado na atualidade.