Capitolio


Coluna do Coriolano

Seguros – Números até o mês de Janeiro de 2024

25 de março 2024 Marcio Serôa de Araujo Coriolano

A Superintendência de Seguros Privados (SUSEP) divulgou em 25/03/2024 as estatísticas da arrecadação e das despesas dos seguros atualizadas até o mês de JANEIRO de 2024.

A taxa de crescimento anualizada (*) das receitas até o mês de JANEIRO (janeiro = R$ 35,1 bilhões) caiu de 9,0% em DEZEMBRO para 8,6% neste último mês divulgado. Isto ocorreu porque, embora a arrecadação global tenha sido 12,5% superior ao mesmo mês de janeiro de 2023, foi inferior em 5,2% às receitas de dezembro de 2023. Essa aparente contradição deriva da base comparativa das estatísticas anualizadas de 2022 e 2023.

(*) Média das “janelas estatísticas de 12 meses móveis.

Na ausência de dados de quantidades de itens, permanece difícil diagnosticar se o efeito desta redução do mês atual contra o último mês foi decorrente de demanda efetiva ou de preços dos seguros (tarifação e reajustes), o que somente poderá ser explicado quando o SRO – Sistema de Registro de Operações, da SUSEP, passar à sua plena vigência.

Comparando-se o desempenho da arrecadação de cada segmento de seguros, o de Pessoas (Vida e VGBL) teve o maior aumento relativo ao mesmo mês de janeiro do ano anterior (+17,8%), seguido de Previdência Privada Aberta (+16,2%, Danos (+5,4%) e Capitalização (+2,3%).

Já quando comparado o desempenho com o do mês de dezembro de 2023, exceto o segmento de Pessoas (aumento de 9,5%), todos os demais observaram redução: Previdência decresceu 68,8%, Capitalização 9,1% e Danos 7,3%.

O Gráfico a seguir apresenta as taxas anualizadas de JANEIRO de 2018 até o último dado disponível de JANEIRO de 2024, estas sendo a melhor medida para a avaliação de tendências. Claro que, sendo o primeiro mês do exercício, ainda não é possível antecipar qualquer tendência para os meses à frente, tudo dependendo da resposta do setor de seguros ao ambiente macro  e microeconômico do País, especialmente às recentes medidas governamentais de estímulo à atividade seguradora.

Conforme verificado recorrentemente em 2023, neste primeiro mês de 2024 as indenizações e resgates igualmente evoluíram bem abaixo das receitas. O crescimento das despesas foi de 0,92%, enquanto as receitas aumentaram 12,5%.