Capitolio


Coluna do Coriolano

Seguros – Números até o mês de Abril de 2024

24 de junho 2024 Marcio Serôa de Araujo Coriolano

A Superintendência de Seguros Privados (Susep) divulgou, recentemente, em 21/06/2024, as estatísticas da arrecadação e das despesas dos seguros atualizadas até o mês de ABRIL de 2024.

Aumentaram as receitas e a sinistralidade continua caindo fortemente.

A taxa de crescimento anualizada (*) das receitas até o mês de ABRIL (no mês = R$ 35,8 bilhões) voltou aos dois dígitos, com 12,0%, quando havia sido de 9,9% em MARÇO, 10,1% em FEVEREIRO e de 8,6% em JANEIRO. Houve, portanto, recuperação da taxa anualizada.

(*) Média de períodos estatísticos de 12 meses móveis, no caso = maio de 2023 a abril de 2024 em comparação a maio de 2022 a abril de 2023.

Para essa significativa mudança da tendência em 12 meses móveis, contribuíram dois fatores:

  1. na comparação com o mês anterior (março), salvo os segmentos de Danos e Responsabilidades – que observaram, o primeiro, pequena variação de 0,5%, e Capitalização com decréscimo de 3,2% – os demais segmentos tiveram substancial crescimento nominal, com aumento agregado de 3,3%; enquanto que,
  2. na comparação com o mesmo mês de abril de 2023, a taxa agregada foi muito forte, acima de 32,8%, apenas superada pelos 40,6% de maio de 2021. A maior responsabilidade por esse impulso mês-contra-mesmo-mês-ano anterior (que foi mês de fraca arrecadação, conforme apresentamos na nossa última Nota), foi, novamente, do segmento de Pessoas (Vida e VGBL), seguido de Previdência, Danos e Capitalização.

Então, cabe insistir que essa evolução acima de 30% na base comparativa deste mês de abril contra meses de anos precedentes é a maior em retrospecto de 35 meses.

Observação: Na ausência de dados da Susep de quantidades de itens comercializados e em estoque, permanece difícil diagnosticar se o efeito desse aumento do mês agora divulgado contra o mês anterior teria sido decorrente da demanda efetiva ou de preços dos seguros (tarifação e reajustes), o que somente poderá ser explicado quando o SRO – Sistema de Registro de Operações passar à sua plena vigência.

No acumulado do quadrimestre do ano – R$ 138,7 bilhões – o avanço da arrecadação foi de 18,1% face ao mesmo período de 2023, tendo as maiores contribuições sido do sempre protagonista segmento de Pessoas (25,7%), seguido de Previdência (10,1%), Danos e Responsabilidades (9,1%) e Capitalização (5,9%).

O Gráfico a seguir apresenta as taxas anualizadas desde JANEIRO de 2018 até o último dado disponível que foi ABRIL de 2024, estas sendo a melhor medida para a avaliação de tendências. Neste caso, ainda que considerando que o próximo mês a ser divulgado, maio, teve boa arrecadação no ano passado (R$ 31,5 bilhões), espera-se um desempenho positivo por todo o apresentado até os últimos dados divulgados. A incógnita, claro, serão os efeitos da catástrofe do Rio Grande do Sul.

Os dados publicados pela SUSEP ainda seguem demonstrando que também até este quarto mês de 2024 as indenizações e resgates evoluíram bem abaixo das receitas (despesas decresceram 1,2%, contra, mostramos acima, receitas cresceram 18,1%)